Domingo, 12 de Abril de 2009

Por favor entendam-se: Médicos, farmácias, e governo. A falta de entendimento entre ambas as partes faz com que seja os doentes a pagarem os medicamentos mais caros. Para quando os medicamentos em uni dose? Com certeza que é mais uns interesses que ainda não foram ultrapassados; quem paga é sempre o doente. Por que razão é que os médicos não autorizam, que os doentes possam optar pelos medicamentos mais baratos,dado que faz parte da lei? Se os medicamentos genéricos são iguais aos outros, naõ vejo porque é que há tanta relutância em facilitar os doentes para terem menos despesa na farmácia. Pensso que haverá interesses das várias partes, o monópolio das farmacias e os interesses dos médicos é que fazem com que os portugueses mais desfavorecidos, e com uma reforma baixa tenham dificuldades. Muitos meses passam sem comprar medicamentos, porque a reforma não chega. A livre concorrência só facilitaria a que os medicamentos fossem mais baratos, se os farmaceuticos formados podessem abrir farmacias, o monopolio acabava, para bem de todos. Se nas outras profissões a concorrência é livre, porque é que nas farmácias não é? Espero que isto possa mudar para bem de todos.

publicado por barroseira às 15:26