Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

Mais uma vez a justiça falhou com uma criança portuguesa, mas que a mãe biológica é Russa. Os tribunais de família, o que é que andam a fazer durante tanto tempo, para resolver os casos das crianças que são entregues a familias de acolhimento? É inadmissível o que aconteceu com esta com esta criança. As imagens que vimos pela televisão deixam qualquer pessoa revoltada, quando uma mãe toma atitudes destas sabendo que está a ser filmada, faço ideia o que acontece em outras alturas. Uma criança que viveu durante seis anos com a familia de acolhimento, que só sabe português, como é que pode ir para a Russia, sem lhe darem o respectivo tempo para se habituar à lingua. Será que esta criança não irá ser mais uma das abandondas pelas ruas na Russia? Espero que este caso sirva para tirar algumas elações, sobre aquilo que não se deve fazer. Não brinquem mais com os direitos das crianças, porque algumas  mães só servem para os parir,para lhe dar carinhos, afectos e amor, por vezes são os pais afectivos.

publicado por barroseira às 15:53

Sábado, 02 de Maio de 2009

Assisti hoje ao IV festival de folclore infantil, do rancho folclórico da Casa do Povo de Tábua. Ao ver tanta juventude, a cantar e a dançar, as tradições dos seus antepassados.  Faz querer que o folclore não acabará nestes anos mais proximos. Estiveram representadas, várias regiões. A "Beira Alta" com o rancho anfitrião, a região "saloia" com o rancho da Mugideira-Torres Vedras, a Nazaré fez-se representar pelo Tá Mar, e o Douro Litoral pelo rancho de Argoncilhe "Terras da Feira." Uma tarde bem passada a ver a habilidade destas crianças, que serão o futuro do folclore em Portugal.  Que bonito foi poder recordar algumas brincadeiras de criança, tais como: o lencinho, o jogo do peão, o saltar à corda, a fisga, a flecha, etc. Como recordar é viver, hoje voltei a reviver os meus tempos de rapaz.. Estes grupos de jovens ainda têm algumas falhas, mas isso é próprio da idade. Algumas vezes, também é falha dos responsáveis, que não sabem explicar às crianças como eram as tradições. Vi em dois grupos de folclore a dançarem a "Triste Viuvinha." Não sei como é que quem está à frente dos grupos não vê que esta moda é para ser dançada por adultos? Lamento que grupos que estão na Federação, cometam  erros desta natureza. Nas crianças ainda não há viuvas, como é que podem estar a representar? Em jeito de conclusão: devo dizer que todo este trabalho é importante para o futuro do folclore, mas é importante ensinar, mas ensinar bem, porque se não estão a deturpar o que era as verdadeiras tradições dos nossos antepassados.

publicado por barroseira às 18:32

Sexta-feira, 01 de Maio de 2009

Cada dia que passa somos confrontados com vários problemas para adopção de crianças: o muito tempo de espera leva a que muitos futuros pais desistam da adopção, porque a borucracia é tanta. Os tribunais criam cada vez mais problemas, por vezes as pessoas desisperam, e é a principal causa, que os leva a desistir. Mas, vale mais disistir antes de receber a criança, que depois. A noticia que à dias apareceu na comunicação social, deixou-me perplexo. Como há pessoas que trocam uma criança, porque o cão não gostava dela? Será que um ser humano não é mais importante que um animal. Este mundo está de veras moribundo, sem amor, sem hábitos familiares, sem respeito pela vida, tanto a nivel da juventude, como da terceira idade. Onde é que isto vai parar? No que diz respeito à criança que foi trocada  pelo cão, o tribunal é o grande culpado, o acompanhamento que foi feito aos pais adoptivos não foi o mais correcto, porque se não tinham se apercebido, da falta de valores do casal para fazer a adopção. E a criança, qual foi o estado em que ela ficou, quando mais uma vez foi regeitada? Já não lhe restava ser abandonada pelos pais? Foi lhe criada expectativas de uma nova vida familiar, onde iria ter um lar acolhedor, e uns pais para lhe darem o carinho que não tinha tido até aqui, e ao fim de quatro meses de adaptação, de euforia com as condições que estava a uzufruir, ser trocada por um animal, é ridiculo. Como é que há pessoas capazes de fazer tanto mal a uma criança? A justiça anda cega, não tem valores, a familia já passou para segundo plano, e com esta politica vamos cair no abismo...Às familias que têm condições, criam-se problemas de vária ordem, e os que são duvidosos dá-se lhe uma criança. Ai Portugal, Portugal, o que mais te espera?

publicado por barroseira às 15:44