Domingo, 29 de Março de 2009

As Misericórdias deste país fazem o trabalho que cabe ao estado que é dar uma vida melhor aos mais necessitados, e por vezes não são tratadas com o respeito que merecem pelos órgãos do poder, governos e poder local. A Misericórdia de Tábua que levou em frente uma obra que é considerada por muitos como referência nacional, tendo já sido visitada por várias entidades, entre as quais algumas Misericórdias, para seguirem a orientação do que foi feito no nosso hospital. Isto claro que deixa todos os tabuenses orgulhosos do trabalho feito, principalmente esta mesa administrativa, um bem hajam pelo trabalho desenvolvido. Os críticos desta terra só têm é mania, falam, falam mas não fazem nada, não têm é capacidade para poder assumir um projecto desta envergadura, e depois só criticam. Apareçam com propostas com credibilidade e assumam alguma coisa não critiquem só por criticar, ponham os olhos em outras mesas que por cá passaram e depois digam se esta mesa não teve coragem para enfrentar uma divida de cerca de 4.000.000 de euros. Misericórdia de Tábua neste momento é das maiores empregadoras do concelho com 230 trabalhadores. Será que por tudo isto não merecia outros apoios de todos os tabuenses? Ontem ouvi na assembleia que a Misericórdia merecia outros olhares por parte do poder local e nacional, se analisarmos, chegamos à conclusão que sim, é verdade, se gastam tanto dinheiro no futebol, se dão carrinhas a muitas instituições, será que esta não merecia também receber uma carrinha? Esta mesa está em funções há cinco anos, e até agora já comprou cinco carrinhas e não teve nenhuma oferta do município o que já deveria ter acontecido. Se não existisse a Misericórdia, com certeza que havia muitos dias que apareciam à porta do município, alguns a pedirem dormida e comida.Responsáveis tabuenses ajudem esta casa, não deixem que quem lá está perca a vontade de continuar a dar os seus serviços sem receber nada em troca, porque ao ver como funcionam as coisas neste país, gestores com ordenados chorudos, e ainda com prémios e levam as empresas à falência, ponham os olhos neste beneméritos que trabalham de borla e ainda quando se deslocam a representar a instituição, as despesas são pagas pelos próprios, estas casa não tem política mas sim solidariedade.

publicado por barroseira às 18:16


Esta semana vim a saber pela minha advogada que o caso que eu tinha, e mais vinte trabalhadores, da falta de pagamentos, com a extinta Tabuarte, que a digníssima drª juiz da nossa comarca aceitou as contas que o liquidatário lhe apresentou, sem que tivesse pago aos trabalhadores. Como é possível depois de três juízes terem dado ordens ao liquidatário para nos pagar, o mesmo não o fez e agora apresente umas contas exorbitantes com gastos que ninguém percebe, sendo nós credores privilegiados, ficamos sem nada.

Isto começou mal logo de inicio, porque os advogados que nos arranjaram só serviram para nos comer o nosso dinheiro, que na altura era pouco, se já estávamos mal piores ficamos.A gora graças á nossa advogada conseguimos entrar como credores e esta senhora drª juiz resolve o caso desta maneira, indo contra as ordens dos seus colegas anteriores, passando-lhe um atestado de incompetência. Para verem bem como está a justiça, em 2006, recebemos as cartas a dizer o que íamos receber e para pagar a taxa referente ao processo o que fizemos. Mais uma vez ficámos mais pobres sem mais algum do nosso dinheiro. Se não houvesse dinheiro compreendia-se, mas havendo dinheiro, fizeram o pagamento ao instituto de emprego e nós trabalhadores éramos a seguir, foram deixando passar o tempo até desaparecer o dinheiro todo em honorários do liquidatário. Pobre país, com esta justiça onde é que isto vai parar.

publicado por barroseira às 17:52

Segunda-feira, 23 de Março de 2009

A primavera chegou

Há poeiras pelo ar

Chegam as alergias

começamos a espirrar

 

 Primavera das flores

Todas elas a brotar

São muitas as suas cores

Para nos alegrar

 

As arvores em flor

Perfumam-nos o ar

Fazem bom ambiente

E ajudam-nos a respirar

 

Chegou a primavera

Há passarinhos no ar

Mas que bem que eles cantam

E como sabem voar

 

É a estação do ano mais linda

Há muitos sonhos a realizar

Com a chegada das flores

Tudo se pode concretizar

 

publicado por barroseira às 14:41

Domingo, 15 de Março de 2009

A infelicidade bateu à porta do pai do bébé que o deixou esquecido no carro. Como é que isto foi possível? Talvez eu possa explicar dando a minha opinião. O pai chegou antes de abrir o berçário e foi para o local de trabalho até chegar a hora de entregar o bébé, as preocupações do trabalho fez com que ele se esquecesse do filho. Isto é inadmissível, mas é preciso entender que o pai não o fez de propósito, mas sim com as preocupações do trabalho, o que não é desculpa. outra coisa que temos que ter em atenção, é que, quem costumava levar o bébé ao berçário era a mãe, como não estava habituado a ser ele a levar o bébé todos os dias, talvez contribuísse para tal falta de desmazelo em relação ao filho. Por vezes as preocupações da vida fazem-nos esquecer muitas coisas, mas que não causam tanto sofrimento. Este pai deve estar arrasado com um grande sentimento de culpa, que vai carregar com ele toda a vida. Não é o primeiro caso destes que acontece mas tem que se evitar este tipo de esquecimentos. Este azar que bateu à porta desta família pode servir de alerta para outras, darem mais atenção aos filhos. Conheço casos em que os pais se esquecem dos filhos, nos infantários, nos ATL, é preciso ligarem para os pais virem buscar os filhos. A família tem que voltar a ser um meio importante para toda a sociedade e não um frete, haja dignidade por parte de pais, filhos e outros familiares, porque o conceito de família está a tomar certas proporções que não sei o que vai ser deste mundo daqui por alguns anos.

publicado por barroseira às 16:39

Domingo, 01 de Março de 2009

Mais uma iniciativa das muitas já lançadas pela Biblioteca João Brandão que é de louvar. Não sei se será um clube de leitura, mas se não é, espero que em breve seja. A possibilidade de cada um  se poder  expressar sobre os autores que já leu, e poder desenvolver o conteúdo de cada livro, em verdadeiro diálogo com todos os presentes, dando cada um a sua opinião sobre o que leu. Por vezes nem todos os leitores entenderam a historia da mesma maneira, o que é importante, porque demonstra como a leitura nos enriquece a mente. Já tivemos duas sextas feiras de amena cavaqueira, muito parecida com uma converssa em familia. A familia ainda é pequena mas espero que ela vá aumentando para podermos ser um grupo grande, aberto ao dialogo e de incentivo à leitura. Será que nesta terra mais ninguem lê? Ou têm vergonha de se juntar ao nosso grupo. Claro que muitos dedicam-se mais aos copos e aos cafés, e outros ao comodismo do sofá. Esta sexta feira dia 27 fui eu o convidado, a principio tive receio mas depois tudo passou,foi só expressar as minhas ideias sobre as leituras que já fiz. A proxima converssa sobre as nossa leituras será dia 20 de Março às 21 horas espero que apareça muito mais pessoas para o nosso grupo ser cada vez mais forte. Força à senhora directora da Biblioteca e seus colaboradores para continuarem com iniciativas válidas para a formação do povo tabuense, que é aquilo que têm feito até aqui. Pena é que muitos tabuenses não saibam dar o verdadeiro valor às coisas que se fazem na nossa terra. Bem hajam.

publicado por barroseira às 20:58