Sábado, 01 de Agosto de 2009

A história da formiga e da cigarra continua muito presente na vida dos portugueses. A cigarra sempre fez uma vida regalada, só cantava e passeava, vivendo na maior, não se preocupando com o trabalho. A formiga, sempre a trabalhar, amealhando no Verão, para depois comer no Inverno. Passado algum tempo, a vida boa da cigarra acabou, faltou o comer e tinha fome. Teve que ir pedir alguma coisa para comer. Então dirigiu-se à formiga, dizendo que tinha fome, se ela lhe dava alguma coisa para comer. A formiga respondeu-lhe... que andaste a fazer todo o verão? A cigarra disse, andei a cantar cantiguinhas, às ceifadeiras do pão! Então agora vai para casa e come um (cagaaa...ão). Na vida actual acontece o mesmo. Enquanto uns trabalham e poupam, evitando compras supérfluas, porque o vencimento não dá para isso. Outros fazem uma vida à larga, descansada, sem preocupações. Compram tudo o que lhe apetece. E então dizem, a quem eu dever que espere e quem me deve que me pague. A cigarra tinha uma inveja grande da formiga, porque esta tinha a casa cheia, não lhe faltando nada. Actualmente acontece que, muitos têm inveja das coisas que os outros têm. Esquecendo-se do trabalho que essas pessoas tiveram para ter essas mesmas coisas. Privando-se muitas vezes de idas aos restaurantes, pastelarias, prontos a vestir etc. Em conclusão: como é que a cigarra queria ter as coisas se não trabalhou? Passou a vida a cantar e a descansar, enquanto a formiga trabalhava.Hoje acontece o mesmo, as formigas continuam a trabalhar, para terem uma vida melhor, poupando, poupando. Só gastando nas coisas necessárias. As cigarras continuam com a sua vida à grande, sem se privar de nada. Depois querem ter que comer?

publicado por barroseira às 17:34